Buscar

3 passos para encontrar a voz da sua marca

Quando pensamos na criação de uma marca, muitas coisas devem ser pensadas: o público-alvo, uma estratégia de marketing, como implementar os produtos e serviços, etc.

Um dos detalhes mais importantes que uma marca deve focar durante esse processo é sua voz. Por “voz” não quer dizer exatamente uma voz falante. A voz da marca é sua personalidade, mostrada por meio de palavras escritas, imagens e outros formatos de conteúdo.

Você provavelmente já percebeu que, quando está lendo algo, tem um certo sentimento que muda de acordo com o autor que escreveu. A voz da marca é similar, exceto pelo fato de que ela representa a empresa completamente ao invés de individualmente.

Encontrar a voz da sua marca é importante pelo fato de ser um fator que diferencia sua empresa das outras. Mesmo que duas empresas ofereçam os mesmos produtos ou serviços, você pode diferenciá-las pela comunicação que elas têm. Para conseguir tirar de letra a comunicação da marca é preciso se esforçar, mas vale a pena pois diferencia você dentro do oceano da concorrência.


Encontrando sua voz

Descobrir sua única voz não é algo que acontece instantaneamente, e muitos podem gostar da ideia, mas não sabem por onde começar.

Falando em termos gerais, é melhor começar pelo básico. O que você está tentando alcançar? Quais são os valores da marca?

Por exemplo, se você está tentando vender produtos artísticos, é melhor ter uma marca amigável, criativa e agradável. Já se você está lidando com um blog de negócios, é melhor optar por uma linguagem honesta, lógica e simples.

Decidir os valores da sua marca e sua missão é algo que deve ser discutido com todos os membros, pois se trata de um esforço de todo o grupo e irá afetar todos os envolvidos no trabalho. Conseguir entender o ponto de vista de todos ajuda a criar uma voz mais autêntica e precisa.

Quando pensar sobre os valores, algo que ajuda muito é fazer uma lista de tudo o que você quer que sua marca represente, e aos poucos, ir pensando quais são as prioridades.

Vamos usar o exemplo do próprio LinkedIn, a rede se apresenta da seguinte forma “Fundado em 2003, o LinkedIn conecta os profissionais do mundo para torná-los mais produtivos e bem-sucedidos”. A página que contém essas informações mostra algumas fotos de profissionais e uma lista de coisas sobre a empresa. Clicando nas outras páginas, você encontra textos simples e inspiradores, com estatísticas mostradas de uma forma interessante.

Levando isso em conta, nós podemos identificar o LinkedIn como um empreendedor amigável, sério e com uma atitude acolhedora.


Colocando em prática

Uma vez que você consegue uma ideia geral sobre como a voz da sua marca deve ser, é hora de começar a implementação. Porém, quando esse plano é ainda apenas um esboço, pode ser uma tarefa difícil de iniciar. Vamos agora tentar torná-la mais fácil para você!


Qual seu estilo? – Existem muitos estilos diferentes que você pode escolher quando estiver criando a voz da sua marca, indo de profissional a casual. Você só precisa escolher um que represente a personalidade da marca.

O estilo pode depender muito das palavras e frases que você usa. Vamos utilizar de exemplo algumas frases básicas de diferentes empresas:

1 – “O objetivo de nossa empresa é promover os melhores e mais tecnológicos produtos” – Este é um estilo de linguagem mais formal e empresarial;

2 – “Nós estamos aqui para dar para você o melhor dos produtos” – Uma linguagem mais amigável;

3 – “Queremos sempre dar tudo de bom para você” – Uma linguagem significativamente mais coloquial e pessoal, assim as pessoas conseguem se identificar mais facilmente.


Denotação X Conotação – Palavras diferentes conseguem trazer sentimentos diferentes, é importante ser específico quanto as palavras que você está escolhendo.

Vamos utilizar duas frases para exemplificar: “Este parece o caminho certo a seguir” versus “Esta parece ser a decisão correta”. A primeira é uma frase mais casual, enquanto a última parece muito mais formal.

É importante destacar que palavras têm diferentes conotações, sentimentos e imagens normalmente associadas a elas. A palavra pode não significar algo diretamente, mas acaba despertando o significado ao mesmo tempo.

A simples palavra “cobra”. Não significa algo especificamente assustador ou ruim, mas ainda desperta o sentimento pelas associações preexistentes que fazemos com a palavra.

Quando for trabalhar na voz da sua marca, fique atento às conotações das palavras, e como elas podem afetar potencialmente sua audiência.


Escolha as imagens corretas – Os diferentes aspectos da sua marca não estão limitados apenas as palavras de maneira isolada. Sites, particularmente, usam muitas imagens e cores, e é importante fazer a escolha cuidadosa delas para combinar com sua voz, ao invés de contrastar cada um desses detalhes.


Una todas as ideias

Com nossas dicas na sua cabeça, você pode começar agora! Escolha algumas frases para testar e veja o que soa mais autêntico – e, enquanto você estiver pensando nisso, fale com outras pessoas e pergunte o que elas acham. Entenda as cores e o tipo de imagem que você quer usar, e comece a uni-los. Não vai demorar para os consumidores começarem a destacar sua empresa da multidão.

Receba dicas valiosas para melhorar seu negócio.

Central de vendas de Curitiba:

(41) 9 9525-1373

Central de vendas de Cascavel:

(45) 9 9985-3365

CNPJ: 18.461.120/0001-51