Buscar

5 maiores desafios dos empresários do oeste do Paraná

Atualizado: 12 de Abr de 2019


Para um empresário no Brasil, há uma série de dificuldades para serem enfrentadas ao se montar uma empresa: falta de qualificação no ensino superior, contabilidade, treinamento em vendas, etc. A realidade brasileira obviamente afeta os negócios.

Mas também existem problemas que envolvem a montagem dele, como a compra de equipamentos e falta de linhas de crédito justas. Até mesmo você pode se apresentar como problema, com sua falta de orientação quanto a abertura e manutenção de negócio.

E qual o principal passo para lidar com todos esses problemas? Entendê-los. Siga com a leitura do artigo e conheça melhor os 5 maiores desafios dos empresários do oeste do Paraná!


Os desafios dos empresários: do ensino superior e contabilidade até treinamento em vendas

Empresários enfrentam bastante dificuldade no cenário brasileiro em diversos aspectos – e algumas pessoas até não gostam dessa classe. Empreender requer planejamento e este pede pela união de partes: do ensino superior e contabilidade até treinamento em vendas.

Como qualquer projeto, se requer união com qualidade para montar um negócio firme, de forma que não se junte ao cemitério de empresas. Quais são os principais desafios para esse projeto?


1 – Qualificação profissional

Em muitos aspectos, a educação não evoluiu junto com a velocidade da internet e a constante transformação tecnológica. Ela várias vezes falha em formar profissionais dentro desse cenário.

Para você ter uma ideia, 58,5% dos jovens concluem Educação Básica até os 19 anos – e os que concluem, saem despreparados para a realidade do mercado. Esse despreparo costuma render em falta de competência do trabalhador em uma empresa.

E a situação piora com a outra camada de empregados, os que já estão no mercado, mas não estão adaptados. Dessa forma, o empresário sofre também com a falta de requalificação.

E agrava mais quando se fala de ensino superior – uma formação mais completa, mas que nem todos possuem. Quando possuem, não entendem como pôr em prática o conhecimento adquirido – e não é como se tivessem sido totalmente direcionados a isso.


2 – Custos altos para equipamento


Equipamentos são caros quando entram no Brasil – e muitas vezes já estão fora de linha. Dentro do território nacional, há um certo atraso para a entrada de tecnologia, até por ser taxado com altos impostos (próximo tópico).

Dessa forma, não é estimulada a indústria com material de qualidade, já que custear os equipamentos costuma ser um peso no bolso do próprio empresário. Cabe então a ele, fazer malabarismos no orçamento para guardar seu investimento em equipamentos de ponta.


3 – Altos impostos

Lidar com os impostos elevados do país sobre indústria, comércio e prestação de serviços pode ser um processo complicado. Nas mãos de um empreendedor que não está preparado para contabilidade, costuma ser morte da empresa na certa.

Afinal, são muitos impostos: PIS, COFINS, IRPJ, CSLL, ICMS, ISS, entre outros (são quase 100 tributos conhecidos). Por exemplo, o ISS, imposto típico, incide sob o serviço com alíquota entre 2% a 5% sobre regime de caixa ou de competência.

E a Receita trabalha bastante na fiscalização, com o Fisco rendendo, por exemplo, R$ 204,99 bilhões em 2017 – 70% maior que 2016. Não existe nem um cuidado por parte dela para saber o quanto será viável para a contabilidade lidar.

Nisso que muitos empreendedores resolvem se tornar MEI, apenas para lidar com encargos tributários menores. Dessa forma, é certo que o grande empresário não é uma figura preparada no cenário brasileiro, pois os tributos o derrubam.

E ainda existe a guerra fiscal


4 – Falta de linha de crédito (ou juros muito altos)

Segundo pesquisa do SEBRAE, os juros, a burocracia e o número elevado de exigências pelas instituições financeiras são as principais dificuldades. Assim, acaba sendo difícil adquirir linha de crédito – o que faz muitos solicitarem como pessoa física.

Por exemplo, em 2018, o cenário de crédito avaliado pelo SEBRAE mostrou uma difícil realidade ao empresário: 61% dos entrevistados em sua pesquisa não obtiveram crédito, enquanto 81% simplesmente evita. Já 47% mencionam os juros altos.

Com a presença de juros altos e caras burocracias, o empreendedor acaba buscando alternativas mais complexas e arriscadas: alguns preferem negociar o prazo de pagamento em faturas com o fornecedor, com outra parcela lidando com cheques pré-datados.

Nesse caminho, podem adquirir dívidas, mas ainda conseguem ser opções melhores do que “contar” com as instituições financeiras.


5 – Falta de conhecimento do empresário

Seria bastante injusto pôr a culpa nos outros, mas muitas vezes o próprio empresário pode ter culpa no cartório. Afinal, falta de orientação e abertura de empresa sem conhecimento é assinar o atestado de que seu negócio não vai durar.

É necessário conhecimento para ser um empreendedor, de forma a lidar com a burocracia e ter uma boa gestão de contabilidade. É assim que se garante uma seleção de funcionários com ensino superior e boa capacidade de aprendizado, além de instituir um bom treinamento em vendas.

Também é assim que se consegue administrar o financeiro e estabelecer um orçamento capaz de lidar com todo o equipamento e outros detalhes. É difícil abrir uma empresa no Brasil e você precisa estar apto para lidar com várias dificuldades.

Assim, busque o conhecimento para abertura e manutenção da empresa, possível através de diversos cursos do meio, como os próprios oferecidos pela SEBRAE. Você, como empresário, precisa estar preparado para lidar com os desafios, de contabilidade ao treinamento em vendas.

Receba dicas valiosas para melhorar seu negócio.

Central de vendas de Curitiba:

(41) 9 9525-1373

Central de vendas de Cascavel:

(45) 9 9985-3365

CNPJ: 18.461.120/0001-51