Buscar

A psicologia por trás dos conteúdos virais

A internet é um lugar lotado e movimentado, inundando-nos com informações a cada segundo de cada dia. Às vezes, passamos e encontramos esse emaranhado de artigos, imagens, vídeos e infográficos sem prestar muita atenção a eles.

E outras vezes tropeçamos em algo tão maravilhoso que compartilhamos dentro de nossas redes sociais sem nem piscar. Nessa segunda situação, apenas nos tornamos uma pequena roda nesse complexo maquinário que transforma um simples material em um conteúdo viral.

Alguns materiais, mesmo antes da internet, conseguiram se tornar virais. Nós chamamos esse fenômeno de “boca-a-boca” e isso ajudou produtos e ideias a serem espalhados ao redor do mundo de maneira extremamente rápida.

Hoje em dia, com tantas formas de comunicação disponíveis, deveria ser fácil para qualquer um criar um conteúdo viral que se espalhasse ao redor. Infelizmente, nem tudo que está na internet se torna viral. Algumas peças atraem milhões de espectadores, enquanto outras, apenas garantem pequenos números de compartilhamentos.

O que torna um conteúdo viral?

Se a resposta para essa pergunta fosse fácil, todos iriam criar virais todos os dias. Do ponto de vista de um neurologista, o público-alvo da sua campanha consiste no cérebro de cada um.

Um conteúdo de alta qualidade, originalidade, ativo e divertido pode ganhar milhares de compartilhamentos nas redes sociais, mas é preciso mais do que isso para se tornar viral. Você precisa adicionar alguns ingredientes secretos nessa mistura.


1 – Novidade

Pesquisadores da neurociência encontraram há algum tempo atrás que temos uma região no meio do cérebro responsável por regular o processamento da motivação e recompensa, gerenciando nossos níveis de dopamina.

A mesma área responde melhor por novidades em nossas vidas. Em outras palavras, quando nosso cérebro tropeça em novas ideias ou novos conteúdos isso enche seu corpo de dopamina, te fazendo sentir recompensado e com vontade de consumir e procurar mais informações.

Como podemos traduzir esse processo dentro do marketing de conteúdo?

O problema é que é difícil encontrar algo novo. Alguém, em algum dia, pode já ter tido a mesma ideia e utilizado.

· Não podemos reinventar esse ciclo, mas é possível usá-lo a seu favor. Esteja sempre de olho nas tendências para encontrar conteúdos novos para trabalhar e aprender mais sobre o que as pessoas andam compartilhando.

· Em seguida, analise os conteúdos de sucesso e melhore-os ainda mais, fortalecendo os pontos negativos e adicionando informações novas e relevantes.

· Promova isso em todos os lugares até que as pessoas encontrem as informações.


2 – Curiosidade

A curiosidade tem uma grande participação nos virais.

Pessoas tendem a clicar, ler e compartilhar conteúdos quando sentem que existe uma lacuna entre o que eles sabem e o que eles querem saber.

Essa ideia é compatível com estratégias de criação que se esforçam para entregar conteúdos úteis, relevantes e ativos para seus leitores.

Se você oferecer para sua audiência a chance de preencher essas lacunas, ela irá se sentir motivada a compartilhar seu material para que outros possam aprender algo também.


3 – Emoções

Existem pelo menos 10 maneiras de tornar seu conteúdo viral. O equipamento desse processo é representado por como você constrói seu material (chamada, imagem, palavras-chave, relevância, extensão, tipo de post, interatividade, etc.).

Já a programação desse processo é representada pelas emoções dentro do seu conteúdo, que funcionam como gatilho para que seu público as compartilhe.

Um dos fatores decisivos que contribuem para que um material seja viral é como ele se conecta com as emoções dentro dos corações das pessoas.


Um estudo recente mostra 10 emoções com maior probabilidade de se tornarem virais:

· Diversão;

· Interesse;

· Surpresa;

· Felicidade;

· Deleite;

· Prazer;

· Alegria;

· Esperança;

· Afeto;

· Entusiasmo.

Mas, nunca subestime o poder das emoções negativas. Pesquisas mostram que conteúdos que utilizam emoções negativas também se tornam virais pelas mesmas razões.


As emoções negativas que funcionam melhor são:

· Medo: conteúdo que adverte e mexe com a consciência tem maior chance de se tornar viral;

· Tristeza: um vídeo triste pode se tornar viral porque pessoas simpatizam com um certo tipo de história e querem que outras se sintam da mesma forma;

· Raiva: um conteúdo que deixa as pessoas com raiva tem grandes chances de ser compartilhado. As pessoas estão inclinadas a expressar que não gostam de um certo assunto e querem que os outros se juntem a isso;

· Descontentamento: conteúdos ruins podem ser “tão ruins que se tornam bons” de uma forma humorada ou também um aviso de algo que é realmente péssimo.


O que você precisa saber é que pessoas não sentem as mesmas coisas ao mesmo tempo e nem com a mesma intensidade. É por isso que os posts que funcionam melhor são os que fazem uma mistura de emoções positivas e negativas.

Quando falamos sobre o segredo do que torna um post viral, existem três ingredientes básicos que funcionam não importa qual o segmento do seu negócio, o tipo de conteúdo ou o público-alvo:

· Sentimentos positivos, interesse, antecipação e confiança;

· Emoções combinadas: posts virais que são gatilho tanto para emoções positivas, quanto para negativas, são mais prováveis de se tornarem virais;

· Surpresas (positivas ou negativas): é sua carta para viralizar um conteúdo.


O outro lado da moeda

Dizer para um publicitário que ele deve saber sua audiência soa até como um insulto. O processo para estabelecer um público-alvo nunca acaba e vai além de quem são as pessoas e o que elas querem.

Quando se trata do psicológico do público – aqueles que vão tornar seu conteúdo viral – as coisas são um pouco mais complicadas.

Vários outros fatores afetam a maneira que seu público recebe a informação.

Idade, gênero, classe social, tudo afeta nisso.

Um público mais jovem, que já está acostumado a receber dezenas de informações ao mesmo tempo em várias redes sociais, não se surpreende facilmente com o que vê. Já o público feminino, se conecta mais facilmente através da confiança.


Esses foram apenas alguns dos fatores que você precisa pensar para conseguir realmente viralizar um conteúdo pela internet, mas lembre-se, não são as únicas maneiras de conseguir atingir seu público.

Esperamos que essas informações te ajudem a se conectar melhor com quem você quer atingir e conseguir mais visibilidade do seu público.

Receba dicas valiosas para melhorar seu negócio.

Central de vendas de Curitiba:

(41) 9 9525-1373

Central de vendas de Cascavel:

(45) 9 9985-3365

CNPJ: 18.461.120/0001-51